Google+ Followers

terça-feira, 30 de junho de 2009

TERÇAS DE MANUELA RODRIGUES

NOVA HISTÓRIA DE MANUELA RODRIGUES: Pré - lançamento do novo CD de Manuela Rodrigues tem data marcada em Salvador e em São Paulo.
A cantora e compositora Manuela Rodrigues está vivendo uma nova fase na sua carreira. Depois de seis anos da estréia do seu primeiro CD, Rotas (Prêmio Braskem Cultura e Arte 2003), Manuela se prepara para lançar seu segundo Cd em Setembro deste ano, produzido pelo jovem músico Tadeu Mascarenhas - Estúdio Casa das Máquinas, e inicia temporada de apresentação.
Convidada pelo crítico musical paulista Marcos Preto para participar do conceituado projeto Prata da Casa, do Sesc Pompéia no dia 28 de julho, Manuela Rodrigues aproveita para dar uma amostra do que será apresentado em São Paulo com duas apresentações do show PRÉ- enquanto não fica pronto..., nos dias 14 e 21 de julho, no Tom do sabor, às 21 hs .
Manuela Rodrigues é uma das grandes representantes na nova música brasileira produzida na Bahia. Destaca-se pelo consistente trabalho de composição que traz como marca a conexão com a contemporaneidade sendo reconhecido em diversas premiações do estado, como Prêmio Braskem Cultura e Arte 2003, Festival da Educadora, Troféu Caymmi. No seu segundo disco e consequentemente no show apresenta canções que se destacam pelas letras originais com pitadas de irreverência, pela condução inusitada das melodias e pela desconstrução formal, sem perder o diálogo com o tradicional. Além do trabalho de compositora, Manuela costuma reconstruir canções conhecidas e imprimir vigor e muita personalidade a suas interpretações, promovendo uma mistura de sonoridades que permite o diálogo entre uma banda base (formada por teclado, baixo, bateria e percussão), instrumentos de diversas naturezas (violas e bandolins num contexto quase sinfônico) e também samples orquestrais, interferências de DJS – scratches, naipe de metais. Essa diversidade de elementos confere à sonoridade uma personalidade ímpar.
SERVIÇO:
O QUE: SHOW da cantora Manuela Rodrigues - PRÉ - enquanto não fica pronto
QUANDO: 14 e 21 de julho
HORÀRIO: 21 hs
QUANTO: R$ 15,00
ONDE: Tom do Sabor – Pirâmide do Rio Vermelho / Rua João Gomes, 249. 71 3334.5677
Contato Produção: Janaina Costa - 9279-2763/8832-9352

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Rumpilezz - A fusão entre a percussão e os metais

SEGUNDA COM A RUMPILEZZ
A fusão entre a percussão e os metais de volta ao palcos da Bahia.
O projeto Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz volta aos palcos de Salvador durante as segundas-feiras do mês de junho com apresentações no Teatro Jorge Amado, às 20:30h. Com a gravação do CD finalizada e novas músicas, os shows trazem uma homenagem a cultura do centro de Salvador, os orixás e as grandes agremiações percussivas como o Ilê Aiyê, Olodum e Sambas do Recôncavo. Esta nova amálgama é repleta de significações, sensibilidade sonora e uma notória influência jazzística, onde as composições e os arranjos são concebidos a partir das claves e desenhos rítmicos do universo percussivo baiano.
* Sucesso em 2008
O ano de 2008 foi de muito sucesso para a Rumpilezz. A Orkestra fez uma temporada inteira no Pelourinho, que contou com a presença de grandes artistas, a exemplo de Carlinhos Brown, Stanley Jordan e Armandinho Macêdo. Também participou de eventos de destaque no cenário nacional, como o Percpan - onde dividiu o palco com o grupo americano Stomp - VII Mercado Cultural, Festival de Jazz de Praia do Forte e finalizou o ano com a virada do ano no Farol da Barra.
Um exemplo da força da música da Rumpilezz é a admiração do cantor e instrumentista Ed Motta que conheceu a Orkestra através do Myspace. A partir daí, surgiu um antológico show de lançamento da Orkestra Rumpilezz, em Salvador. "Letieres e cia. são os artistas mais impressionantes que já ouvi! É tudo fantástico! Fiquei muito impressionado com a grandiosidade da música da Rumpilezz. O mundo vai ficar de queixo caido com a complexidade das idéias de Letieres! Eu não só adorei, como quero trabalhar com vocês". Disse o cantor aos jornais baianos.
**Serviço:
Local: Teatro Jorge Amado - UEC - Pituba
Horário: 20:30h
Data: Todas as segundas-feiras de Julho de 2009.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

terça-feira, 23 de junho de 2009

RESSACA JUNINA - 28/06/09 às 17:00

CHITA FINA: Formado por instrumentistas e cantoras residentes na Bahia, Grupo Chita Fina reafirma a diversidade da música brasileira. Sete meninas "baianas” foram buscar inspiração musical na chita, que durante séculos cobriu o corpo de trabalhadores rurais, senhoras e mocinhas do interior. Hoje, cultuado no cobiçado mundo da moda e do design, o tecido de algodão com desenhos florais é símbolo para o Grupo Chita Fina expressar a diversidade cultural do país. O trabalho finca a identidade na riqueza da cultura popular brasileira. MANUELA RODRIGUES: Cantora e compositora, Manuela Rodrigues vem trilhando um caminho seguro e profícuo em sua carreira, ganhando a atenção e o respeito tanto da imprensa especializada quanto de artistas importantes no cenário musical brasileiro. Seu talento versátil e voz diferenciada e a originalidade das suas composições, já lhe valeram prêmios e a gravação de CDs, onde apresenta o que gosta de classificar como “Música Livre”, uma construção harmônica de composições que se destacam por quebrarem com a estrutura formal estrofe-refrão.

PARA OS APAIXONADOS POR CERÂMICA

No dia 1º de julho, o Instituto Mauá inaugura a Exposição Cerâmica da Bahia, na Galeria Cañizares - Escola de Belas Artes da UFBA. O vernissage contará com uma demonstração in loco do fazer cerâmico através da queima de Rakú, pela ceramista Irene Omuro, a partir das 17h.
A abertura oficial será às 19h, com um coquetel de confraternização para os ceramistas e convidados, além da apresentação de vídeos e o lançamento do Ensaio Cerâmica Popular da Bahia: Introdução Crítica para uma Leitura Poética, do professor Dante Augusto Galeffi.
A diversidade de artefatos inclui potes, panelas, moringas, figuras populares, orixás, santos e azulejos decorados.
Visitação: de segunda a sexta, das 8h às 18h, até 16 de julho.
A Escola de Belas Artes fica na Rua Araújo Pinho, Bairro do Canela, Salvador.
Mais informações: www.belasartes.ufba.br/ ou pelo telefone: (71) 3283-7915.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Divorciadas - Evangélicas e Vegetarianas

Comédia com uma pitada de "SE TOQUE":

O RELEASE DIZ ASSIM: Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas A comédia das mulheres em busca de novos caminhos está DE VOLTA! Está de volta ao Teatro Vila Velha o espetáculo Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas. Depois de mais de dois anos sem ganhar os palcos, a peça retorna a cartaz para dois fins de semana de temporada nos dias 12, 13 e 14; 19, 20 e 21 de junho – sempre de sexta a domingo, com o elenco original. Iara Colina, Mariana Freire e Vivianne Laert voltam a encarnar as peculiaridades de três mulheres que tentam mudar o seu próprio destino em curso. Baseada no texto do venezuelano Gustavo Ott, a montagem tem direção, cenário e iluminação de Fábio Espírito Santo. Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas retrata com bom humor as desventuras de três mulheres em crise. Um universo de solidão interior, que deveria ter no trágico o seu apelo dramático, ganha roupagem cômica à medida em que satiriza estereótipos e derruba idéias pré-concebidas sobre o mundo feminino. As personagens compartilham os risos e as misérias de suas vidas, sempre prontas a fazer os mais ácidos comentários sobre as soluções que encontram para seus problemas. Juntas, elas se descobrem, se emocionam e se divertem. Beatriz (Mariana Freire) é uma jovem divorciada que, decepcionada com sua própria vida de dona-de-casa, decide se suicidar atirando-se na linha do metrô. Neste momento, ela é salva por Glória (Iara Colina), uma mulher independente, que vive um relacionamento abusivo com um homem casado. A terceira mulher, Carmem (Vivianne Laert), é uma viúva nascida numa família evangélica, que trabalha como lanterninha no cinema e continua reprimindo sua sexualidade. Para o diretor, boa parte da força da peça está no texto de Ott, mas é o trabalho das atrizes que abrilhanta a montagem. “As meninas representam com muita verdade seus papéis e têm o timming preciso para as tiradas das personagens”, avalia ele. Divorciadas rendeu a Iara Colina a indicação de melhor atriz no Prêmio Braskem de Teatro de 2005.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Comentário pessoal:
Assisti à peça e confesso que fiquei bastante mexida com tudo que tive oportunidade em ver em cena, o humor tem sim uma pitada profunda de realidade. Me questionei sobre vários pontos relevantes, entre eles, como a figura materna (nosso primeiro referencial de mulher) é construtivo e necessário em nosso processo de evolução. Até hoje me pergunto sobre algumas lacunas expostas, principalmente, quando literalmente me vi na tela do cineminha improvisado pelo cênico. Uma coisa é certa, é difícil olhar pra dentro da gente e perceber onde estão nossas falhas, nossas revoltas e frustrações. É preciso se auto-conhecer, estudar nossa ancestralidade e melhorar o manual de instruções, deixado diretamente ou indiretamente, pelas nossas mães. CONCLUSÃO: “Mulher é um bicho esquisito”... risos...

A "CASA DE BENIN" já é maior de idade (risos)

No ano em que festeja 21 anos de fundação com uma série de palestras e exposições, entre outras atividades, a Casa do Benin, localizada no Pelourinho (Rua Padre Agostinho Gomes, 17), passa a ser também um equipamento de inclusão social. A instituição oferecerá cursos de percussão, arte culinária e de inclusão digital para crianças e adolescentes de famílias carentes que habitam no entorno do Centro Histórico de Salvador.
Para o curso de percussão, a Casa do Benin, administrada pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), firmou convênio com a Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (Setad).
Os interessados em mais informações sobre as capacitações programadas podem ligar para o telefone (71)3241-5679.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Curso: História, Cultura e Arte Yorubá

Em vista da marcante presença Yorubá no Brasil, dos tempos coloniais até hoje, este curso irá abordar fundamentos da história, cultura, religião e arte Yorubá. Será dada ênfase especial à Cosmologia, Arte e Iconografia dos Orixás, Simbolismo das Cores, Mediunidade e Máscaras.
As aulas expositivas e ilustrativas irão permitir aos participantes não apenas adquirir um conhecimento mais profundo das tradições culturais e artísticas do povo Yorubá, mas também desenvolver habilidades analíticas que facilitarão contextualizar sua reinterpretação no Brasil.
* PROF. DR. BABATUNDE LAWAL Nascido na Nigéria, Babatunde Lawal graduou-se em Artes Plásticas na Universidade de Nsukka, Nigéria. Possui Mestrado e Doutorado em História da Arte pelas Universidades de Indiana (EUA). Ensinou por vários anos na Universidade Obafemi Awolowo, em Ile-Ife (Nigéria), onde foi fundador e Chefe do Departamento de Belas Artes e Diretor da Faculdade de Artes. Atualmente é Professor de História da Arte no Virginia Commonwealth University, em Richmond, Virginia (EUA). Também foi professor visitante das Universidades de Harvard (Massachusetts) e de Columbia (New York), Dartmouth College (New Hampshire), Michigan State University (East Lansing), Kalamazoo College (Michigan), Harare Polytechnic (Zimbábue), Universidade de São Paulo (Brasil) e Universidade Federal da Bahia (também no Brasil).
O Professor Lawal tem inúmeras publicações sobre diferentes aspectos da arte na África e sobre a Diáspora Africana. A sua pesquisa sobre a estética e os significados das artes e festivais tradicionais contribuiu significativamente para o seu reconhecimento internacional, servindo de inspiração a artistas negros contemporâneos. SERVIÇO: LOCAL: UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB. CAMPUS I AUDITÓRIO DO CPDER (atrás do prédio de pós-graduação). Rua Silveira Martins, 2555 – Cabula. PERÍODO: DE 06 A 10 DE JULHO DE 2009 HORÁRIO: 14 ÀS 18 H. INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES: BIBLIOTECA DA PÓS-GRADUAÇÃO PROFª. HILDETE - TEL: (71) 3117.2448 VALORES: ESTUDANTES: R$ 25,00 OUTROS: R$ 50,00 APOIO: DCHI - PPGEL - PROEX

sábado, 6 de junho de 2009

VÁ AO TEATRO!

Negreiros - Texto, direção e atuação: Leandro Rocha. Monólogo inspirado livremente na obra, Os Escravos, de Castro Alves propõe uma reflexão sobre racismo. Casa da Música – Parque Metropolitano do Abaéte, s/n, Itapuã (3116-1511). Ingresso: trocado por 1 quilo de alimento não-perecível. Quinta a sábado, 20h. Até 13 de junho

Um Caso de Língua - O espetáculo, vencedor do Prêmio Braskem de Teatro 2008, fala sobre os aspectos relevantes da formação da língua portuguesa no Brasil. Teatro Monet - R. Ana C. B. Dias, Quadra U, Loteamento Miragem, Vilas do Atlântico, Lauro de Freitas. (71 3261-2179). Ingresso: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Sextas e sábados, às 20h. Até 13 de junho. Atire a Primeira Pedra - Adaptação de Cleise Mendes e Fernando Santana, baseado em A Vida Como Ela É, de Nelson Rodrigues. Direção: Luiz Marfuz. Crônicas que privilegiam o olhar feminino e a explosão dos desejos das mulheres numa época em que a ordem patriarcal começa a ruir. Teatro Jorge Amado – Av. Manoel Dias da Silva, 2.177, Pituba (3525-9720/ 3525-9708). Ingresso: R$ 30 e R$ 15. Sexta a domingo, 20h. Até 28 de junho.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Subúrbio festeja mais um ano de dinamização cultural

Em comemoração à reabertura do Centro Cultural Plataforma, o espaço realiza o III Festival das Artes – Caldeirão Cultural em Junho
Durante duas semanas, diversas atividades artístico-culturais marcam a comemoração de dois anos de reabertura do Centro Cultural Plataforma, espaço administrado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia - FUNCEB. É o III Festival das Artes – Caldeirão Cultural, que acontece de 07 a 21 de junho e conta com a participação dos grupos de arte e cultura do Subúrbio Ferroviário de Salvador e convidados. A festa começa no próximo domingo (7), às 17h, com um bate papo sobre a atual crise econômica mundial e seus efeitos no dia-a-dia da população, seguido de um coquetel para convidados e a apresentação do grupo de Teatro Kulturart com o espetáculo Indecadência ou Morte.
Através de apresentações artísticas, debates, exibição de filmes, exposição e oficinas, os grupos festejam a dinamização do espaço que é gerido pela FUNCEB em parceria com o Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio. De 2007 a maio de 2009, o Centro Cultural Plataforma acolheu 313 eventos de teatro, dança, música, cinema, entre outros, atingindo um público de 34.415 pessoas, em 612 apresentações. De acordo com Kátia Najara, Diretora de Espaços Culturais da FUNCEB, os festejos do Caldeirão Cultural refletem a simbologia da conquista por um espaço artístico-cultural na região do Subúrbio. “É um marco comemorativo do espaço, que esteve fechado por mais de dez anos e, após o movimento popular organizado, pôde ser reaberto. O Caldeirão comemora essa produção artística de Plataforma, que estimula e potencializa a cultura local”, analisa.Para Ana Vaneska Almeida, coordenadora do Centro Cultural Plataforma, o Caldeirão Cultural revela a diversidade cultural da região. "Ele simboliza a riqueza cultural presente no cotidiano do Centro, principalmente com sua reabertura", afirma a coordenadora, ressaltando que programação comemorativa “favorece a articulação entre os diferentes grupos e organizações locais em torno da arte e cultura”.
No Festival, será realizada também a Caminhada Cultural, ação que antecede os espetáculos. Entretanto, desta vez, a tradicional caminhada mudou de dia e inverteu o trajeto: a Caminhada Cultural encerra as atividades e ocorrerá no dia 21 de junho saindo da Praça São Brás em direção ao Largo do Luso (Av. Afrânio Peixoto), Plataforma. Para esta edição, os grupos começaram a se mobilizar desde janeiro. Uma das propostas para esse ano era a inserção do projeto Plataforma de Talentos, ideia surgida após manifestação da platéia no Caldeirão Cultural do ano passado, quando alguns dos espectadores participaram das apresentações que aconteciam no palco. O Plataforma de Talentos tem a finalidade de catalogar a produção cultural existente nos Subúrbios de Salvador, aproximar os grupos culturais da comunidade e do Centro e, dar um suporte técnico aos grupos que se apresentam.
SOBRE O CENTRO CULTURAL PLATAFORMA:
Depois de permanecer fechado por mais de 14 anos, o Centro Cultural Plataforma foi reinaugurado em 8 de junho de 2007. O espaço cultural tem capacidade para 203 pessoas, acomodação para cadeirantes, infra-estrutura de som, luz, projeção de vídeo, além de três salas para ensaios, três camarins, acessibilidade e sanitários adaptados para deficientes. Localizado no Subúrbio Ferroviário, o complexo recebeu um investimento oficial de R$ 1.813 mi. Por mais de 30 anos, a comunidade, através de lideranças culturais e populares, promoveu uma mobilização permanente, com manifestos, projetos e articulações políticas para recuperar o cine-teatro, que se tornou símbolo do movimento popular do Subúrbio.
SERVIÇO:
III Festival das Artes – Caldeirão Cultural
Quando: 07 a 21 de junho de 2009
Onde: Centro Cultural Plataforma - Praça São Braz S/N – Plataforma. Salvador - BA
Quanto: GrátisInformações: 71 3117 8106/ 71 3117 8104 [fax]

terça-feira, 2 de junho de 2009

II CURSO DE TEORIA E PRÁTICA DE TRIBUNAL DO JURI

"Como Atuar no Tribunal do Juri com Sucesso" O Promotor de Justiça Dr. Davi Gallo promove o II Curso de Teoria e Prática de Tribunal do Juri Dia 06 de Junho Das 09:00 às 18:00 horas ONDE: Faculdade Social (ISBA) - Ondina INSCRIÇÕES: Livraria LDM 2101.8000 ou na ESAD Escola de Advocacia (campo da pólvora ao lado do Fórum) INVESTIMENTO: R$ 50,00 *Serão Integralizadas 10 horas para as atividades acadêmicas ** Maiores Informações: 9955-9691 Prof. Abel