Google+ Followers

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ELEIÇÕES - 2010

Preferências não se discutem, mas, se compartilham...
Presidente da República 13 - Dilma Roussef

Senador 130 - Pinheiro


Senadora 400 - Lídice da Mata


Governador da Bahia 13 - Jaques Wagner


Deputado Federal 1303 - Luiz Alberto


Deputada Estadual 65500 - Olívia Santana

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

PAREDES EM MOVIMENTO

A 2ª edição do projeto PAREDES EM MOVIMENTO abre portas e paredes no Cine Teatro Solar Boa Vista para  o diálogo entre as palavras e a dança.(clique no flyer).

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A Gosto da Fotografia

VEJAM O LANÇAMENTO DO CATÁLOGO - 2010

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

CORPOCIDADE - Debates em estética urbana

Considerando o papel da arte como criadora de novas formas de partilha do sensível, o projeto Corpocidade: debates em estética urbana 2 pretende politizar e acrescentar uma instância de ação às discussões iniciadas na primeira edição do evento, em 2008. Neste ano, serão dois encontros gratuitos e abertos ao público: o primeiro no Rio de Janeiro (22/11) e outro em Salvador (29 e 30/11). Os debates serão realizados a partir dos resultados de experimentações processadas anteriormente, nestas duas cidades.
Interessados em participar dos debates devem submeter suas provocações, através do site, a partir de hoje (27/09) até o dia 13/10. Para saber mais sobre o Corpocidade: http://www.corpocidade.dan.ufba.br/2010/
Este projeto foi contemplado pela seleção pública de debates presenciais do Programa Cultura e Pensamento 2009/2010.
INFORMAÇÕES:
Renata Rocha (Assessora de Comunicação) - renataptrocha@gmail.com

domingo, 26 de setembro de 2010

PARABÉNS - GAL COSTA


Para comemorar os 65 anos da melhor voz do país, irei publicar um texto lindo, delicado e muito emocionante do nosso querido cantor e compositor baiano Carlos Barros:
"Em se tratando de música a minha casa tem quatro moradas: Gilberto GilMaria Bethânia,Caetano Veloso e Gal Costa.

Em se tratando da última listada, os caminhos que levam a esta casa minha são os mais nítidos e óbvios para mim.

Comecei a entender o que era canção a partir de Bethânia.
Gil me ditou as regras da linguagem musical.
Caetano mostrou por que veredas podemos ir para alcançar o máximo entre letra e melodia.
Gal Costa me possibilita cantar.

Hoje, com 65 anos de idade e mais de quarenta de carreira, esta artista (cuja cota de beleza e competência já ultrapassa qualquer comparação) está mais viva do que nunca, tanto física quanto artisticamente.

Sua proposta estética de limpidez gradativamente em crescimento, sua atenção mais que privilegiada com a VOZ enquanto instrumento perfeito/imperfeito a ressoar almas e êxtases como quem sopra o vento displicentemente (tal como a sabedoria de Gil em O Compositor me disse) e acima de tudo, sua despreocupação aparente com o trexto enquanto intrumento de expressão fazem de Gal não a nossa maior cantora - canso desta história, inclusive... -  mas o que temos de mais original na história recente do canto no Brasil.

Eu exagero?
Não, constato!

Gal Costa trouxe leveza ao lado de modernidade: refez a falsa baiana faceira e rebolativa e a colocou no patamar da musa minimalista de João Gilberto; atualizou carmem tropicalientemente; fez o Brasil cantar em acordes de exaltação desde Ari e David Nasser; mostrou os pritos cinquentões em uma fase de perfeição vocal e cênica; passou por crises polpiticas, fez política com o canto; foi Caetano enquanto este não era aqui; saudou a Bahia, fundando uma estética cotidiana desta terra e cidade; enfim; recentemente lançou luzes sobre compositores desconhecidos, enfim, foi, esteve, realizou e está, sobretudo, está.

Não mais há como questionar que Marisa, Vanessa, Roberta são filhas diretas não somente nos timbres, mas numa maneira especialíssima de traduzir em sons palavras na canção brasileira.

Certa revista hoje não mais muito conceituada apresentou matéria em que o nome  Gal não figurava como referência.
Como estas páginas já "amarelaram" mesmo de tão velhas...

Gal não somente é referência como é presença.
Sua expressão com o artista tem diminuído por que - como o fazem as divas mais especiais - sua aparição diminuiu, mas seu canto ecoa a cada cantar contemporâneo que revele sutileza, leveza, intensidade na água cristalina e por vezes turva, quando necessário é. Mais uma vez a pecha de "diva fria" não pode lhe caber: Baby (Caetano Veloso) não seria a mesma sem ela. Barato Total (Gilberto Gil), também. Mais recentemente o brilho de Abandono (Caetano Veloso) não estaria à altura sem sua intervenção.

Quanto a mim, que posso dizer desta artista em minha vida?
Não pretendo rompimentos estéticos além daqueles estritamente necessários. Gilberto Gil revelou que quando chegou à cena, tudo que queria era ser Jorge Ben.
Gil tornou-se Gil...
E eu?

Péricles Cavalcanti compôs uma obra fantástica sobre outro gênio da música: Eu queria ser Cássia Eller.
Hoje, em setembro de 2010, quase um ano depois de ter lançado meu disco de estreia, quando o ouço e quando ouço tudo (de bom e sobretudo de ruim) sobre mim e meu canto, aí me dá mais vontade de dizer:
licença Péricles, mas eu não somente queria ser, como me esforço o tempo inteiro para ser, em sendo Gal Costa!"


Adorei o texto e recomendo aos apreciadores de boa música "Carlos Barros" e a banda do Ceu. http://www.myspace.com/barroscarlos

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A terceira idade em exposição fotográfica

A Faculdade da Felicidade enaltece a maturidade em imagens com a exposição “Nuances de uma vida plena”



A Faculdade da Felicidade, na Barra, consegue diariamente dar vazão as idéias e sonhos de seus alunos da terceira idade. Um trabalho muito bem dirigido pela pedagoga Lucinha Palmeira que dirige há mais de cinco anos o espaço. Um lugar completamente voltado para atividades que acrescentem movimento, criatividade e interação à terceira idade.

Para comemorar o Dia Nacional do Idoso _ 01 de Outubro, data instituída pelo Presidente Lula em Dezembro de 2006 __, de 24 de Setembro a 03 de Outubro, no Shopping Paseo Itaigara, a Faculdade da Felicidade apresenta a exposição “Nuances de uma vida plena”. Um trabalho criado pelas fotógrafas Carla Palmeira, Sônia Nepomuceno e Luzinete Martinez. Poses de alunas do espaço que incorporaram toda a alegria e a vida presentes em uma idade madura.
Uma vernissage abre a exposição nesta sexta, 24, a partir de 18h.




Serviço
O que: Exposição fotográfica “ Nuances de uma vida plena”
Quando: 24 de Setembro a 03 de Outubro (Vernissage dia 24/09 a partir de 18h)
Onde: Shopping Paseo Itaigara – Rua Rubens Guelli, n 135 – Itaigara
Quanto: Grátis

Fonte: Adriana Favilla - Gema Carioca Consultoria

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Vocábulos Caminhantes - Juraci Tavares


Juarci Tavares estará cantando o show Vocábulos Caminhantes, no dia 25 de setembro de 2010 (Sábado), às 22h, no Espaço Cultural "Casa da Mãe", no Rio Vermelho. Compareça, a sua presença fará bem a nossa música

O dia está na minha frente
esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu,
o escultor que pode dar forma.
"Tudo depende só de mim".
Charles Chaplin

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Lançamento do livro Olhares na Varanda do Sesi


Depois do pré-lançamento na 21ª Bienal do Livro de São Paulo, em

agosto, Olhares será lançado em Salvador, no dia 25 de setembro, às

19h, na Varando do Sesi, Rio Vermelho. Olhares é um livro de poesias

que concretiza em palavras as percepções de mundo de dois grandes

escritores baianos, Antoniella Devanier, jornalista e Valter Júnior,

filósofo.

O livro foi resultado de uma pesquisa de sonoridade, linguagem e

possibilidades de sinergia como trabalho do processo criativo.

Olhares foi dividido em duas partes, na primeira, Antoniella Devanier

descreve o seu olhar diante de questões como erotismo, feminilidade,

romance, natureza, amor, entre outros temas. Na segunda parte do livro

Valter Júnior aborda de forma crítica o cotidiano e a sociedade, fala

de amor, da liberdade e do tempo. Cada um de sua maneira incrementa

diversos Olhares sobre a vida e provoca uma reflexão sobre os modos de

convivência da humanidade.

Para Valter Júnior Olhares traduz um novo ciclo com os olhos do leitor

“convidamos você a ver de novo o mundo, só que agora medido pela

altura e mistura dos nossos olhares. Vamos cobrir ou descobrir,

acrescentar véus ou desvelar, com a linguagem da poesia, o que, às

vezes, percebemos, mas não sabemos direito como expressar”, ressalta.

“Certos olhares deveriam ser mais prestigiados, como o olhar amigo, o

olhar solidário, o olhar eterno, o olhar sincero e o olhar da paz. Mas

o olhar erótico, o olhar do conhecimento, o olhar espiritual e até

mesmo o olhar que impõe limites são também importante para a vida”,

destaca Antoniella Devanier.

O cantor, compositor e violonista, Ramon Lima, participa do lançamento

apresentando o seu novo show Como eu Sou, com músicas do CD homônimo

que será lançado ainda este ano, o repertório também é composto de

canções do primeiro CD CardioParadaCordiacor, lançado em 2007. O show

tem participação especial da cantora Ana Alice.

OS AUTORES:
Antoniella Devanier nasceu em Feira de Santana, Bahia, em 06 de
dezembro de 1973. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal da
Bahia, em 1996, é mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC- São
Paulo- sobre as relações entre o Jornalismo e a Poesia de Maria Teresa
Horta (Portugal). Foi professora do departamento de práticas de
formação da PUC/Campinas da disciplina Criação Literária, em 2003, e
ministrou oficinas de Criação Literária, em centros culturais de
Campinas, São Paulo e Salvador. O nome de Antoniella Devanier consta
no Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras de Nelly Novaes
Coelho, editora Escrituras. O trabalho da autora foi citado, em
Portugal, no livro Jornalismo e Literatura: inimigos ou amantes?  da
escritora portuguesa Helena de Souza Freitas.
Atualmente, coordena a Pós Graduação em Jornalismo e Mídias da
Faculdade da Cidade, pesquisa as relações entre o Direito e o
Jornalismo e escreve o livro de contos intitulado O Sertão dos Olhos
D´água.
Autora do livro A Revolução do Orvalho, prosa poética, pela editora
Scorttecci, 2001, São Paulo. Publicou diversos contos, como Eternos,
Solidão Solidezinha, A meus pés e a teus pés, em antologias poéticas
de vários estados do Brasil, na Bienal Internacional do Livro de São
Paulo e na Bienal Internacional do livro do Rio de Janeiro.
 O conto Mosaico foi publicado na Coletânea Internacional Mariposas:
Mujeres sin capullos, pela Bianchi editores, Montevidéu, em 2002.
Antoniella iniciou sua produção literária aos 17 anos, quando publicou
os primeiros poemas, na Coletânia: Segredo um Retorno à Vida, uma
homenagem à poetisa Mabel Veloso, pela editora Contemporânea,
Salvador, em 1991. A autora participou também da Coletânea Talento
Feminino em Prosa e Verso, pelo selo editorial REBRA (Rede de
Escritoras Brasileiras), em 2002.

Valter Alves da Cruz Júnior nasceu em Salvador, Bahia, em 13 de
janeiro de 1965. É autor do livro de poesia Sohformatando, pela
editora Virtual Books, 2009, Salvador.
  O livro Sohformatando, lançado em março de 2009, surgiu da boa
aceitação do seu trabalho desenvolvido no blog
(http://sohformatando.blogspot.com/), que tem como tema o seu olhar
diante do mundo.
  Valter Júnior nasceu e vive na cidade baixa, que ele vê como outra
cidade dentro de Salvador. Estudou em escolas públicas e cursou o 2o
grau técnico em eletrônica na Escola Técnica Federal da Bahia (atual
IFBA), é servidor municipal na prefeitura na área de informática e
está atualmente concluindo o curso de Filosofia pela Universidade
Federal da Bahia.

Serviço
Lançamento do livro Olhares

Show de abertura: Ramon Lima

Autores: Antoniella Devanier e Valter Júnior

Capa: Artista plástico Luiz Gomes

Foto da capa: Ana Alice Rodrigues

Editora: Virtual Books

Lançamento: 25/09 (Sábado), às 19h30

Local: Varanda do Sesi, Rio Vermelho.

OFICINAS DE PLANEJAMENTO DE PRODUÇÃO

A Oficina
A oficina de Planejamento e Produção cultural tem como finalidade o entendimento e a vivência dos diversos processos que fazem parte das atividades de um produtor cultural, que vai desde o desenvolvimento da capacidade de conceber, planejar e executar um evento cultural à percepção de que se trata de um segmento de trabalho em que a matéria prima é a cultura e o objetivo é a satisfação dos artistas e do público.



Local, Hora e Período de duração
As oficinas serão realizadas na Casa Via Magia durante as tardes de terça feira dos meses de setembro, outubro e novembro.


Quem pode participar
Poderão se inscrever jovens entre 15 e 25 anos moradores do Engenho Velho da Federação, com disposição para desenvolver atividades na área da cultura.


Como se inscrever
Quem tiver interesse em participar deve se dirigir à Casa Via Magia e preencher a ficha de inscrição,  até o dia 24 de setembro. Caso haja maior numero de inscritos do que o numero de vagas, será feita uma seleção.


Seleção para estágio
Ao final da oficina serão selecionados participantes para um estagio no X Mercado Cultural, que acontecerá entres os dias 26 de novembro e 05 de dezembro.


O Projeto
Ubuntu na Federação – Novas Tecnologias, Arte e Educação é um projeto do Instituto Cultural Casa Via Magia em parceria com a Secretaria de Cultural – SECULT-BA através do Programa Mais Cultura – Pontos de Cultura da Bahia.  Tem como objetivo, partindo das novas tecnologias ampliar as atividades do Instituto, realizando capacitações voltadas a área da cultura.

Maiores informações acessem: http://www.viamagia.org/

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

EM CARTAZ PARA SENTIR:

Hanami - Cerejeiras em flor
Apenas Trudi sabe que seu marido Rudi está sofrendo de uma doença terminal e ela precisa decidir se vai contar a ele ou não. O médico sugere que eles façam algo juntos, como realizar um velho sonho. Trudi decide não contar ao marido sobre a gravidade de sua doença e aceita o conselho do médico. Ela há muito tempo gostaria de ir ao Japão, mas primeiramente convence Rudi a visitar seus filhos e netos em Berlim. Quando chega na cidade, o casal percebe que os filhos estão tão ocupados com suas próprias vidas que não têm tempo para sair com eles. Na segunda viagem que Rudi aceita fazer com a esposa, ela morre repentinamente. Rudi fica devastado e não tem a menor idéia do que fazer. Através do contato com a amiga de sua filha, Rudi compreende que o amor de Trudi por ele havia feito com que ela deixasse de lado a vida que queria viver. Ele começa a vê-la com outros olhos e promete compensar sua vida perdida embarcando em uma última jornada, para o Japão, na época do festival das cerejeiras, uma celebração da beleza, da impermanência e de um novo começo.
Nosso Lar (2010)
Baseado em célebre livro homônimo psicografado pelo médium Chico Xavier, o filme narra a trajetória do médico André Luiz, após sua morte, pelo mundo espiritual. Ao abrir os olhos, ele sabe que não está mais vivo. Embora sinta fome, sede, frio, André percebe que não pertence mais ao mundo dos encarnados. As dúvidas e as dores se intensificam até ele ser acolhido na cidade do mesmo nome do título, onde interage com espíritos de luz e observa suas práticas de cura. Publicado originalmente em 1942, Nosso Lar foi traduzido para mais de 15 idiomas, com mais de dois milhões de cópias vendidas.
O Pequeno Nicolau
O garoto Nicolas leva uma vida tranquila. É muito amado por seus pais e tem uma turma de amigos com quem se diverte bastante. Para ele, nada precisa mudar. 
Mas um dia, Nicolas ouve uma conversa entre seus pais que o faz achar que a mãe está grávida. O menino entra em pânico e já imagina o pior: tão logo nasça um irmão, seus pais deixarão de lhe dar atenção e vão abandoná-lo na floresta, como as histórias do Pequeno Poucet, de Perrault. "O Pequeno Nicolau" é inspirado em um livro infantil de Goscinny (criador dos quadrinhos Astérix et Obélix) e Sempé.
Tudo Pode dar Certo
Excêntrico nova-iorquino abandona sua vida elitista para aprender mais sobre a existência boêmia. Ele conhece uma garota do sul dos Estados Unidos e sua família e os dois não conseguem se entender nas complicações que seguem este encontro.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Memórias Brasileiras: Claudya Cos'tta


Amantes da boa música brasileira, sigam a dica de Claudia Costta:
"Já sabem que temos um encontro marcado, não é verdade? Sendo assim, espero por vocês neste sábado, dia 18, no Ciranda Caffé, ás 21h, Rio Vermelho. E no próximo sábado, dia 25, temos um outro encontro no mesmo lugar e horário. Estarei acompanhada de grandes músicos: Orlando Nascimento e Dorgon Filho, nos violões, Luciano Chaves, na flauta e direção musical, Gilberto Santana e Claudinho na percussão.
Show Memórias Brasileiras
Local – ciranda Caffé – Rua fonte do Boi, próximo ao antigo hotel Meridian
Horário – 21h
Ingresso – poderão ser adquiridos na entrada do show (15,00).
Espero por todos vocês com a mesma energia do bem, alegria no rosto e vontade de embriagar-se do melhor da musicalidade brasileira. Não esqueçam de divulgar entre amigos!
Abraço, meus queridos!
Claudya Cos’tta
Produção: 877163-20/8833-7322/8849-2210."

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

NOTA DE FALECIMENTO


Morreu na madrugada desta terça-feira (15) o músico ilheense Saul Barbosa, de 57 anos. Ele sofria de insuficiência renal e estava internado há meses no hospital Espanhol, em coma induzido. Saul terá seu corpo cremado às 10h desta quinta-feira (16) na sala D do cemitério Jardim da Saudade, bairro de Brotas. Saul Barbosa foi um dos maiores compositores baianos, teve mais de 30 anos de carreira e, só em parceria com Gerônimo, fez mais de 200 composições. Seus sucessos foram gravados por grandes nomes da nossa música, entre eles destacam-se: Elba Ramalho, Márcia Short, Margareth Menezes, Sandra de Sá e outros...

"É com uma alternância entre tristeza e alegria que recebi a notícia da passagem de Saul Barbosa hoje cedo ao acordar: Tristeza por saber que, no nosso egoísmo, não teremos continuidade na sua produção de beleza. Alegria por saber que, desde agora, ele encontrou a PAZ que tanto almejamos.
A nós nos resta, desfrutar da sua lembrança, sua trajetória e, sobretudo, redescobrir a cada dia seu legado musical.
Abração e axé,
Rebeca Castro - Produtora Cultural"

terça-feira, 14 de setembro de 2010

LANÇAMENTOS DE CD'S

NOVIDADES NO AR:
Adriana Moreira - lança Cd "Direito de Samba"
Dias 23 e 24/10 às 21h - Casa da Mãe (Rio Vermelho)
Couvert: R$ 10,00


Verônica Ferriani - lança em Salvador show e cd "Verônica Ferriani"
24 de Setembro às 21h - Pedro Arcanjo (Pelourinho) - Grátis
Participações: Manuela Rodrigues e Sandra Simões

sábado, 11 de setembro de 2010

Circuito Guitarra Baiana

Conceituado em uma apresentação mensal na segunda terça-feira dos meses de Setembro, Outubro, Novembro e Dezembro de 2010 no Sesi Rio Vermelho. Numa parceria entre o SESI e o produtor e músico Julio Caldas, o projeto tem como objetivo uma reavaliação do conceito e sonoridade da guitarra baiana e é fruto da Mostra de Guitarra Baiana e Bandolim pro Abaeté, realizado na Casa de Música, no Abaeté, nos anos de 2009 e 2010.
Na Terceira edição do evento, o Grupo convidado é:
LATERAL ELÉTRICA uma banda, que está aí para contar um pedaço da história do TRIO ELÉTRICO em sua forma inicial quando as guitarras baianas, em mãos hábeis, faziam do carnaval verdadeiros shows de música instrumental ou algo assim como o maior festival de rock-frevo itinerante do planeta, a bordo de palcos móveis, como a CAETANAVE e outros. Formada por um grupo de percussionistas da época em que a percussão tocava na lateral do trio e pelos Guitarristas Jackson Dantas e Askê Mesquita. www.myspace.com/lateraleletrica

O que: Circuito Guitarra Baiana

Quando: terça-feira, 14 de setembroo, às 20h.

Onde: Teatro SESI Rio Vermelho (R. Borges dos Reis, 9, Rio Vermelho. Tel.: 3335 1529)

Quanto: R$20 e R$10

Contatos:

Julio Caldas - 3332-1965 * 86646515 * 91473429

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Documentário: Nova Redenção


O documentário "Nova Redenção - A Terra do Poço Azul", com duração de trinta minutos, reporta a fascinante trajetória dessa cidade situada na Chapada Diamantina e da sua gente. História, memória e cultura entre nós, grutas e serras.
CONFIRAM:
Lançamento do documentário "Nova Redenção - A Terra do Poço Azul"
11-09-2010 (Sábado), às 18h
Sala Walter da Silveira.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Carlos Barros e Banda do Céu


Todas as terças, às 21:30, na Varanda do Sesi - Rio Vermelho, Carlos Barros e Banda do Céu, mostrando as suas influências musicais... Se você aprecia: Doces Bárbaros, Tropicália, Marisa Monte, Zeca Baleiro, Chico César, Lenine, Carlinhos Brown, Daniela Mercury - APAREÇA!

domingo, 5 de setembro de 2010

Domingos de Setembro - Teatro GamboaNova


Para quem curte projetos de final de tarde, uma ótima dica!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

J. Veloso invade o Pelourinho com sua Cavalaria


Show “J. Veloso e Os Cavaleiros de Jorge”, às 21h, com: Mario Ulloa, André Macêdo e Rodrigo Lopes (espala - primeiro violinista da orquestra “Neojibá”) na Praça Pedro Arcanjo (Pelourinho), dia 03/09 (sexta). Entrada Franca.

INFORMAÇÕES
Luzia Moraes
Ofá Produções
(71) 8816 4560

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Manuela Rodrigues no Conexão Vivo Sala do Coro


A cantora e compositora Manuela Rodrigues apresenta o show 'UMA OUTRA QUALQUER POR AÍ', dia 06 de setembro, às 20 h, pelo projeto CONEXÃO VIVO na Sala do Coro. Acompanhada por Tadeu Mascarenhas, Son Melo, Júlio Caldas e Lalo, o show é uma préviapara o lançamento do seu novo álbum de mesmo título, que chegará as lojas no primeiro semestre de 2011 tendo a direção musical e produção da cantora em parceria com o jovem músico Tadeu Mascarenhas e será lançado pelo selo baiano Garimpo Música.
O show conta com a participação especial do cantor Álvaro Lemos e com interferências doVJ Thiago. Manuela Rodrigues apresenta parte da sua criação desde o primeiro Cd (Rotas – Prêmio Braskem 2003) , criativas releituras e inéditas de compositores da sua geração, como as do baiano Leandro Morais e dos paulistas Rômulo Fróes e Clima, além de uma composição em parceria com Rômulo. A direção artística do show é de Felipe Assis e Irma Vidal assina a luz do espetáculo.

SERVIÇO
O quê: Manuela Rodrigues no Conexão Vivo Sala do Coro
Quando: 06 de setembro (segunda-feira), às 20 h
Local: Sala do Coro do TCA (Campo Grande)
Quanto: R$ 2,00 e 1,00
(bilheteria aberta 2 horas antes do show)