Google+ Followers

segunda-feira, 19 de maio de 2014

|GUITARRA BAIANA| Estréia no cinema de Salvador



No início dos anos 1940 a dupla Dodô & Osmar, ambos de Salvador, tiveram a ideia de construir um novo instrumento após uma apresentação do músico Benedito Chaves com seu "violão elétrico". Com um captador acoplado à caixa acústica e ligado a um amplificador, daria grande sonoridade.

Dodô era técnico em eletrônica e depois de muitos testes, inseriu o captador num corte de madeira maciço para evitar a microfonia. Nascia assim o pau elétrico, que para muitos, viria a ser a primeira guitarra elétrica do mundo. 

COM: Caetano Veloso, Moraes Moreira, Armandinho Macedo, Aroldo Macedo, Missinho, Luiz Caldas , Julio Caldas, Moroto Slim, Maestro Fred Dantas, Maestro Spok, Professor Paulo Miguez, Radialista Perfilino Neto, luthier Elifas Santana, Jackson Dantas, Durval Lelys, Lito Nascimento e Fred Menendez.

|TEATRO| CARTOGRAFIA DO ABISMO”



Sempre fui amante incondicional da música, dentro e fora da minha cidade natal, sempre circulei com prazer em todos ambientes que tivesse uma sonoridade agradável e confortável para minha sensibilidade.
De uns tempos pra cá, tenho desenvolvido o gosto pelo teatro. Tenho percebido que a cada estação me apaixono mais pela dramaturgia e me entrego a ela de forma profunda e bastante reflexiva (silenciosa expectadora, claro).
Ontem, pude ter acesso ao espetáculo “CARTOGRAFIA DO ABISMO”, em cartaz no Espaço Cultural da Barroquinha (com a sua novíssima estrutura, prontinha para receber as delicias da Cidade). Em cena Caio Rodrigo Chaves, ele outra vez me impressionando com suas caras sensatas e na medida CERTA, mãos muito bem colocadas, olhar expressivo e postura de corpo/alma prontinhos para revigorar qualquer ser. Lembro que precisei assistir Pólvora e Poesia umas 3 ou 4 vezes, não para entender o texto, o enredo ou propósito, mas, pra sentir de perto aquela interpretação visceral e tão instigante.
Hoje ele mais uma vez me nocauteou com sua precisão. O monologo retrata os conflitos contemporâneos que já foram revelados, mas não sabemos ainda como vencê-los. A humanidade se deitou num medo constante onde as irreverências referenciais se esconderam num abismo louco.
Aqueles que como eu buscam respostas, contato, pessoas reais despidas das modinhas plásticas que assombram o dia-dia, recomendo muitíssimo este espetáculo:
Cartografia do Abismo
SÁBADO E DOMINGO (24 e 25.05) – ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES
19HS | ENTRADA FRANCA
ESPAÇO CULTURAL DA BARROQUINHA

terça-feira, 6 de maio de 2014

|SALVE CAYMMI| Domingo no TCA

CLÁUDIA CUNHA HOMENAGEIA CAYMMI NO PROJETO DOMINGO NO TCA
Cantora apresenta o show “Caymmi é 100” no domingo, 11 de maio (Dia das Mães), em homenagem ao centenário do grande compositor baiano.

A cantora Cláudia Cunha fará show especial em homenagem ao centenário do cantor e compositor Dorival Caymmi (1914-2008), que no último dia 30 de abril completaria 100 anos. A estreia do novo projeto acontece na Sala Principal do TCA, no dia 11 de maio (Dia das Mães), às 11h, e integra a edição de maio do projeto Domingo no TCA, que acontece mensalmente e tem ingressos à R$ 1. O espetáculo tem direção musical de Luciano Salvador Bahia, iluminação de Irma Vidal, figurino de Claudia Di Moura e produção de Alê Pinheiro. O show também faz parte da programação do projeto "Caymmi! De Itapuã para o mundo...", promovido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA), que rende homenagens ao artista com uma série de atividades ao longo do ano.

O espetáculo idealizado pela artista foi dividido em três momentos que buscam abarcar os principais temas de inspiração do compositor.  O primeiro deles é o Mar com suas canções praieiras que falam de saveiros, peixes, vento e Iemanjá. O segundo é dedicado às mulheres cantadas pelo mestre, com músicas como "Modinha para Gabriela", “Dora", “Adalgisa”, “Anália”, “Rosa”. E o terceiro momento é inspirado na Bahia de Caymmi, com canções que falam do jeito baiano, da vida urbana da época, culinária e beleza da capital, como “Você já foi à Bahia?”, “Vatapá” e "Coqueiro de Itapuã". A boa notícia é que, para quem não puder estar presente no show que acontece agora em maio, no mês de julho, Cláudia Cunha leva este espetáculo para o Café Teatro Rubi, no Sheraton da Bahia Hotel.