Google+ Followers

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Divorciadas - Evangélicas e Vegetarianas

Comédia com uma pitada de "SE TOQUE":

O RELEASE DIZ ASSIM: Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas A comédia das mulheres em busca de novos caminhos está DE VOLTA! Está de volta ao Teatro Vila Velha o espetáculo Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas. Depois de mais de dois anos sem ganhar os palcos, a peça retorna a cartaz para dois fins de semana de temporada nos dias 12, 13 e 14; 19, 20 e 21 de junho – sempre de sexta a domingo, com o elenco original. Iara Colina, Mariana Freire e Vivianne Laert voltam a encarnar as peculiaridades de três mulheres que tentam mudar o seu próprio destino em curso. Baseada no texto do venezuelano Gustavo Ott, a montagem tem direção, cenário e iluminação de Fábio Espírito Santo. Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas retrata com bom humor as desventuras de três mulheres em crise. Um universo de solidão interior, que deveria ter no trágico o seu apelo dramático, ganha roupagem cômica à medida em que satiriza estereótipos e derruba idéias pré-concebidas sobre o mundo feminino. As personagens compartilham os risos e as misérias de suas vidas, sempre prontas a fazer os mais ácidos comentários sobre as soluções que encontram para seus problemas. Juntas, elas se descobrem, se emocionam e se divertem. Beatriz (Mariana Freire) é uma jovem divorciada que, decepcionada com sua própria vida de dona-de-casa, decide se suicidar atirando-se na linha do metrô. Neste momento, ela é salva por Glória (Iara Colina), uma mulher independente, que vive um relacionamento abusivo com um homem casado. A terceira mulher, Carmem (Vivianne Laert), é uma viúva nascida numa família evangélica, que trabalha como lanterninha no cinema e continua reprimindo sua sexualidade. Para o diretor, boa parte da força da peça está no texto de Ott, mas é o trabalho das atrizes que abrilhanta a montagem. “As meninas representam com muita verdade seus papéis e têm o timming preciso para as tiradas das personagens”, avalia ele. Divorciadas rendeu a Iara Colina a indicação de melhor atriz no Prêmio Braskem de Teatro de 2005.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Comentário pessoal:
Assisti à peça e confesso que fiquei bastante mexida com tudo que tive oportunidade em ver em cena, o humor tem sim uma pitada profunda de realidade. Me questionei sobre vários pontos relevantes, entre eles, como a figura materna (nosso primeiro referencial de mulher) é construtivo e necessário em nosso processo de evolução. Até hoje me pergunto sobre algumas lacunas expostas, principalmente, quando literalmente me vi na tela do cineminha improvisado pelo cênico. Uma coisa é certa, é difícil olhar pra dentro da gente e perceber onde estão nossas falhas, nossas revoltas e frustrações. É preciso se auto-conhecer, estudar nossa ancestralidade e melhorar o manual de instruções, deixado diretamente ou indiretamente, pelas nossas mães. CONCLUSÃO: “Mulher é um bicho esquisito”... risos...

Um comentário:

Almeida disse...

Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas retrata com bom humor as desventuras de três mulheres em crise. Um universo de solidão interior, que deveria ter no trágico o seu apelo dramático, ganha roupagem cômica à medida em que satiriza estereótipos e derruba idéias pré-concebidas sobre o mundo feminino.

http://destaqueba.com